quarta-feira, 2 de abril de 2014

Estreito É o Caminho


A porta está sempre aberta, mas estreito é o caminho. Isso significa dizer que escolher andar conforme Jesus nos ensinou é escolher fazer o que é certo aos olhos de Deus e de Sua palavra mesmo quando nos custe muito. As vezes fazer o que é certo é a escolha mais difícil e menos recompensadora a curto prazo. Curto prazo aqui, digo o período de uma vida nessa terra. Certamente a escolha custará o nosso ego, que em muitas das situações será aniquilado até a morte (morte para um renascimento). E essa escolha não é apenas uma escolha de atitudes, mas nossas intenções também serão pesadas. Em casos extremos o preço da escolha será o preço de sangue.
Então não há como não dizer que não haverá um alto preço a ser pago e uma cruz a ser carregada. Mas, diante de todas as renúncias e diante de todas as nossas dores devemos nos lembrar de Jesus. Olhar para Ele ali na cruz, pagando o maior preço de todos pelos nossos pecados. Ele se humilhou, serviu até na morte, se entregou no nível mais extremo que alguém poderia se entregar. Ele já fez o que ninguém mais poderia ou terá que fazer. O preço já foi pago! E o preço que pagamos hoje torna-se tão pequeno, tão insignificante perto daquilo que Ele já conquistou por nós entregando Sua vida ali na cruz. Ele nos deu livre acesso ao Pai e as profundezas de Seu Espírito. Ele nos deu perdão, graça, misericórdia e liberdade. Ele nos amou com o único amor que é mais forte do que a morte e que cobre multidão de pecados. Ele nos deu vida com um propósito nessa terra e uma vida eterna em Sua presença, onde não haverá mais dor ou sofrimento. E haverá recompensa eterna por cada espera, por cada escolha, por cada sofrimento por causa da Verdade. E quando pensamos no preço hoje a ser pago, como não dizer: Jesus para onde irei eu se só Tu tens as palavras de vida eterna?!

Paz,

M.S.